quarta-feira, 13 de setembro de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

ALIMENTOS COM CORANTES PODEM MANCHAR OS DENTES?

Você é o que você come. Apesar de ser um velho ditado, acaba se tornando bem atual com base na alimentação de muita gente nos dias de hoje. Especialistas comprovam que uma boa dieta é essencial para manter a saúde do corpo, do organismo e do sorriso também. Existem vários alimentos e bebidas industrializados e com corante que causam cáries ou, até mesmo, uma erosão dentária. Mas será que também podem manchar os dentes?
ENTENDA POR QUE ISSO ACONTECE
De modo geral, a descoloração dos dentes está associada ao processo de envelhecimento natural. Mas também existem fatores relacionados ao que você come. “Pacientes que possuem uma dieta com alta concentração de alimentos cromogênicos, ricos em corantes naturais ou artificiais, vão apresentar um maior manchamento dos dentes”. Chocolate, café, chá, refrigerante, beterraba, açaí e molho de tomate industrializados são alguns exemplos que estão corriqueiramente presentes nas alimentação de muita gente. Lembrando que os pacientes tabagistas também possuem um risco maior de perder o branco do sorriso.
COM OS CUIDADOS CERTOS, TUDO PODE MUDAR
Hoje em dia, este manchamento ou amarelamento dos dentes pode ser reversível. “Parte destas manchas, as chamadas manchas extrínsecas, podem ser removidas com uma boa higiene bucal”. A escovação promove uma retirada mecânica desses pigmentos mais superficiais, que estão aderidos apenas ao biofilme do esmalte. Por outro lado, se você consumir esses alimentos a todo momento, corre o risco de amarelar os dentes. “A estrutura dental possui ‘pequenos poros’ por onde essas moléculas pigmentadas podem adentrar e se ligarem a estrutura da dentina”.
O CLAREAMENTO DENTAL É A ÚLTIMA SOLUÇÃO
No último caso, quando o corante já está em contato com a dentina, o amarelamento só pode ser removido com clareamento dental. “Um processo químico, onde os radicais livres provenientes do agente clareador penetram na estrutura dentária e realizam a oxidação das cadeias carbônicas que constituem as moléculas pigmentadas”. O tratamento é muito bom e traz seu sorriso branco de volta. Mas como também há outro ditado antigo que diz que é prevenir do que remediar, cuide muito bem da sua alimentação e mantenha bons hábitos higiênicos

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Presença já confirmada!

Saiba mais você profissional dessa  área acesse: http://www.jicbmf.com/programacao



Papo Saudável




Você sabia?



Papo Saudável

Participando do Programa de Ivoneide Lopes na Rádio Líder FM do quadro Papo Saudável, falando sobre Bichectomia

Lesões de Tecidos Moles da Face- Acidente de Moto


As lesões dos tecidos moles da face reservam importantes cuidados quanto ao seu tratamento, diante da nobreza anatômica da região, que é rica em nervos, vasos sanguíneos calibrosos, glândulas salivares, ductos, olhos e anexos, por exemplo. Para tanto os Cirurgiões e Traumatologistas Buco-Maxilo-Faciais (BMF), os quais são treinados à assistir pacientes com essa situação clínica, são requeridos a terem cada vez mais treinamentos específicos quanto ao manejo das lesões dos tecidos moles da face, visado otimizar seus resultados cirúrgicos. Para tanto, técnicas de cirurgia plástica devem ser assimiladas pelos Cirurgiões BMF, como forma de enrequecimento técnico,  considerando que muitas das lesões das quais tratamos assumem características singulares como perda de substância por exemplo. Nesse contexto consideramos importante o Cirurgião BMF ter conhecimeto sobre o processo de cicatrização das lesões dos tecidos moles e do comportamento biológico de reparo de cada natureza de tecido lesado envolvido no trauma. Pois só assim o profissional assistente ao caso poderá julgar qual a melhor conduta cirúrgica tomar visando uma melhor estética e função.
Nestas imagens não temos o propósito específico de relatar o caso clínico exposto, mas de apresentar um caso clínico por nós tratado na urgência, que retrata bem a severidade dos traumas de face dos quais o Cirurgião Buco Maxilo Facial deve estar apto a tratar. Este caso teve breve período de proservação devido o desinteresse do paciente em comparecer as demais consultas de retorno o que justifica a ausência de imagens de um pós-cirúrgico mais tardio. São apresentadas imagem que ilustram o quadro pré operatório  e pós imediato, onde no pré evidencia-se diversas estruturas anatômicas comprometidas pelo trauma e no pós um processo de cicatrização em curso.







Dr. Valmir Braga / Cirurgião Buco Maxilo Facial
83 9 9444-4521                            
(Imagens de arquivo pessoal)

Implantes Dentários

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.
Como funcionam os implantes dentários?
Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “protese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.



Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.
Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.
Os implantes são, em geral, mais caros que outros métodos de substituição de dentes e a maioria dos convênios não cobre seus custos.
O tipo de implante mais recomendado na atualidade é o ósseo integrado que se mostrou uma revolução no tratamento de pacientes parcial ou totalmente desdentados.

·         Implantes ósseo integrado: — são implantados por meio cirúrgico diretamente no osso maxilar. O período da osseointegração (integração ao osso) leva em média 4 a 6 meses dependendo da região a receber o implante. Após este período, uma segunda cirurgia é necessária para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese que pode ser de dois tipos:


Prótese Protocolo: — Prótese total implantosuportada e implantoretida, fixada sobre 4 a 8 implantes em média, este tipo de prótese é parafusada e retirada apenas pelo seu dentista, é uma prótese que confere boa estética e é uma ótima opção para quem pretende fugir da dentadura, o único incoveniente é que este tipo de prótese é mais difícil de ser higienizada pois todos os detes são conectados entre si, exigindo bastante cuidado do paciente. Pode ser feita em resina ou porcelana.



·         Prótese Overdenture: — Prótese total removível sobre implante, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção. Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada.

Principais dicas de cuidado bucal para IMPLANTES

A maioria dos implantes dentais são eficientes, e existem algumas etapas que você pode seguir para auxiliar na garantia do sucesso e fazer com que o implante dure.
·         Pratique uma boa higiene bucal – Escove os dentes três vezes por dia e utilize o fio dental diariamente. Utilize escovas de dente interdentais, escovas que deslizam entre os dentes podem ajudar a limpar mais profundamente ao atingir áreas em volta do implante.
·         Pare de fumar – Fumar pode enfraquecer a estrutura óssea e pode contribuir para falhas no implante.
·         Consulte seu dentista – Limpezas e exames a cada seis meses podem ajudar a garantir que seu implante esteja em boas condições, e que continue dessa forma.
·         Evite mastigar alimentos duros – Não mastigue itens duros como gelo ou doces duros, uma vez que eles podem quebrar a coroa e os seus dentes naturais.



O que é uma Cirurgia Ortognática?

cirurgia ortognática é um tratamento indicado para pessoas que têm deformidades envolvendo os ossos da face e os dentes, visando restabelecer o equilíbrio anatômico da face. Quando não for possível resolver o caso somente com o aparelho ortodôntico, uma vez que o problema está no tamanho dos ossos do esqueleto e não somente na posição dos dentes, faz-se necessário uma correção óssea. 
As deformidades dos ossos da face podem se originar de distúrbios de crescimento, síndromes e anomalias específicas, traumas na face, ou serem de origem genética, dentre outros fatores. Essas alterações podem estar localizadas num osso, como no prognatismo mandibular (mandíbula grande) ou no retrognatismo mandibular (mandíbula pequena), sendo que muitas vezes é um problema combinado, associando o maxilar superior à mandíbula. Por exemplo, quando a mandíbula for grande e o maxilar superior for pequeno, será necessário operar os dois ossos, com o posicionamento cirúrgico da mandíbula para trás e do maxilar superior para a frente.


O paciente deverá realizar uma documentação ortodôntica completa, em clínica especializada em radiologia odontológica, para que os profissionais ( Cirurgião Buco Maxilo Facial e Ortodontista ) analisem as correções necessárias através de um tratamento ortodôntico-cirúrgico-ortodôntico. Isto é, inicia-se com a ortodontia preparando os dentes por período que varia de seis meses a um ano (primeira etapa), a partir daí planeja-se a cirurgia ortognática, fazendo uma moldagem de estudo e confeccionando modelos de gesso e montagem em articulador; opera-se o paciente e, logo que se recupere, a ortodontia realizará os últimos ajustes na oclusão.

Antes da cirurgia, o paciente deverá realizar alguns exames complementares. A cirurgia é realizada em ambiente hospitalar e sob anestesia geral, envolvendo normalmente dois cirurgiões, um instrumentador e uma equipe multidisciplinar. A cirurgia é realizada totalmente por dentro da boca, não deixando cicatriz na face e, dependendo do porte da cirurgia e recuperação da anestesia, a alta hospitalar é dada ao paciente na manhã do dia seguinte.


A correção das deformidades faciais através da cirurgia ortognática traz grandes benefícios aos pacientes operados, com sensível melhora na relação entre os dentes, músculos, ossos, respiração, fonação, posição da língua, articulação temporo-mandibular (ATM), mastigação, digestão e em muitos casos, no relacionamento social. A Cirurgia Ortognática moderna busca um equilíbrio das funções mastigatória, respiratória e da beleza estética


é com ela que o cirurgião, juntamente com o ortodontista, vai:
·         Diminuir o tamanho do queixo de um paciente “queixudo”
·         Diminuir a maxila em pacientes “dentuços”
·         Diminuir tanto a maxila quanto a mandíbula em casos mais graves
·         Refazer o mento (queixo)
·         Diversos movimentos em todos os ossos da face


 Perguntas freqüentes:

Com qual idade pode-se fazer essa cirurgia?
A Cirurgia Ortognática está indicada a partir dos 17 anos de idade (momento em que o crescimento dos ossos faciais já está no final). Caso haja dúvida, o cirurgião pode solicitar exames específicos para avaliação da idade óssea. 
Existe alguma prevenção para as deformidades faciais?

Depende. Existe uma especialidade odontológica chamada Ortopedia Funcional dos maxilares, que trata preventivamente as deformidades faciais auxiliando o crescimento facial correto em pacientes em idade infantil. Porem em alguns casos de herança genética, esta prevenção pode não ser suficiente.